Aprendizados e tendências para 2020 – Parte 1 Marketing

jan 08, 2020

Confira a série sobre reflexões e expectativas de diferentes áreas do mercado goianiense.

Você já refletiu sobre as experiências adquiridas ao longo de 2019?

De acordo com esse conhecimento, como o mercado em que sua empresa está inserida irá se comportar em 2020?

Além de fazer essas reflexões, é importante considerá-las ao estabelecer o seu planejamento para começar 2020 com diretrizes sólidas e saber exatamente o que fazer e como fazer para o alcance de resultados.

Para uma visão do panorama externo do mercado, o blog da CDL Goiânia reuniu um time de professores especialistas, de nossa Escola de Negócios, para estabelecer um cenário de aprendizados do ano que passou e as expectativas para 2020 nas áreas de economia, marketing, gestão de negócios e vendas.

Este conteúdo foi organizado em uma série de postagens que serão publicadas nas próximas semanas.

E para dar o pontapé inicial em nossa série, convidamos a especialista em comunicação empresarial, marketing; e professora, Maraísa Lima, que compartilhou conhecimentos valiosos sobre sua área.

Maraísa apresenta como uma primeira macrotendência na área de marketing, a personalização da experiência.

“Nesta grande macrotendência nós temos customização de mensagens, customização de campanhas, criação de eventos cada vez mais personalizados que gerem experiências, o uso da inteligência de dados para fazer uma hiper-personalização em larga escala. Eu conheço o meu consumidor a fundo, a ponto de eu conseguir entregar para ele, uma experiência tanto digital como presencialmente. Eu posso entregar desde uma mensagem personalizada para uma pessoa, no momento certo, em que ela está fazendo uma busca ou tentando comprar algo, e eu a conheço, a tal ponto, que eu preparo experiências, eventos cada vez mais customizados”, explica.

Maraísa ressalta que, para as marcas, é interessante que seus os profissionais de marketing e comunicação conheçam sobre o neuromarketing.

Ou seja, saber sobre o comportamento consumidor por meio da neurociência, conhecendo aquilo que atraia atenção dos consumidores, como despertar a percepção positiva das pessoas, fazer experiências para gerar mais engajamento e fidelização dos clientes e usar os 5 sentidos para criar experiências memoráveis.

“É interessante trazer o que a gente chama de ‘memorabilia’ que são alguns mimos que as pessoas guardam a respeito das marcas. Então essa macrotendência, para mim, ela vem muito ao encontro do anseio das pessoas, porque nesse mundo extremamente digital, as pessoas querem ser tratadas como únicas”, complementa.

Como dica para 2020, a professora aconselha trabalhar com a questão do propósito para atrair mais os consumidores, fazendo com eles se sintam representados por este propósito. Mas alerta sobre a transparência na prática deste sentido e ressalta, “não adianta eu criar uma frase linda e maravilhosa como sendo propósito da minha empresa, porém eu não trabalhar a transparência, eu tenho que pensar em ser congruente”.

A segunda tendência citada pela especialista e que, segundo ela, vem crescendo ao longo dos últimos anos, é o uso do áudio. De acordo com Maraísa, as pessoas usam cada vez mais os áudios nas plataformas de conversas instantâneas, nas buscas no Google e até mesmo com o auxílio na digitação de textos.

E acrescenta, “nós temos visto crescer muito as plataformas de podcast, pois tem um baixo investimento, gera uma consciência muito grande da marca e é um canal próprio em que a marca pode divulgar os seus conteúdos, para atrair mais pessoas, para se relacionar com seu público. Então, o áudio nesse próximo ano, acredito que vai crescer ainda mais “.

E por fim, mas não menos importante, a professora garante que as empresas devem continuar o investimento em mobile.

“Percebemos também, ao analisar o comportamento consumidor, observar as pessoas, o modo de vida delas, que as pessoas usam muito celular, cada vez mais conectadas pelo celular. Usam o celular pra comprar, usam o celular para se relacionar com suas marcas e é fácil você hoje perceber, como por exemplo, os bancos começam a melhorar cada vez mais a experiência do usuário nos próprios aplicativos. Às vezes você acessa o seu banco pelo computador, o site tem uma característica e o aplicativo tem outra. Geralmente, nesse seguimento, o aplicativo consegue gerar uma experiência muito melhor para usuário, então aquilo facilita a vida da pessoa, e faz com que aquela marca esteja presente no dia a dia dela, pelas facilidades”.

BLOG CDL

Novidades Blog